-->
quarta-feira, 25 de julho de 2018

King Levi um senhor da moda moçambicana e do mundo

Uma gravata, um laço, uns suspensórios, uma pulseira, anéis e um relógio são peças e detalhes importantes para construir um look. O fato é fundamental em todas as ocasiões, é assim que se caracteriza e se define o estilo “Dapper” em português: elegante, janota, vaidoso.
Instagram tornou-se numa montra, onde os apaixonados pela moda desfilam os seus outfits, dão dicas de como ter um bom visual, onde comprar a roupa certa e usar os detalhes certos para cada momento. “Sr.King Dapper”, mais conhecido como King Levi é isso tudo e mais alguma coisa. Esteve em Portugal de férias e não podíamos deixar de o entrevistar.

Com a moda vem a disciplina, é necessário ser consistente e muitas vezes exigente consigo mesmo e com a roupa que se usa. O cuidado com o visual faz parte da rotina e pode demorar mais tempo do que se pensa, é prender o olhar durante muito tempo sobre o guarda-fato e escolher a melhor fatiota, todos os dias.
King Levi é um jovem empreendedor, director criativo e CEO da prestigiada agência de moda KLD AGENCY, em Moçambique, e da VICIOUS SHOES (marca que será lançada ainda este ano). Não houve um momento certo para entrar no mundo da moda, a paixão que o movia sempre esteve patente desde criança, a exigência que se obrigava a ter em tão tenra idade quanto à escolha das peças de roupa foi o que marcou o seu caminho.
A sua carreira começou através das redes socias, uma vez que são as plataformas mais importantes hoje em dia para divulgação de marcas e trabalhos. Primeiro como consultor de moda, o que lhe rendeu vários convites de estações televisivas e radiofónicas em Moçambique para falar do seu trabalho e como vestir bem.
Glamour e classe são os substantivos que Levi usa diariamente no seu dia-a-dia. É o que leva consigo para os eventos de moda onde se tornou numa influência para as tendências e dress code de muitos jovens a nível nacional e internacional. Mas só é o homem que é nesse ramo, porque tem uma grande influência por trás, pessoas que o fazem vestir mais e melhor.
“Uma das minhas grandes influências é um senhor italiano de moda. Mararro, clássico moderno. Gosto da sua postura, forma de vestir e de estar.”

Para um africano, as cores e os padrões são algo natural, provenientes de culturas onde os tecidos são alegres e de cores vivas, que se acabam por tornar num modo de vida, vestir o que a cultura dá. Para Levi “o bom gosto é algo inato para os africanos, o que de uma forma natural cria um impacto não forçado no seio de qualquer outra etnia”.
As redes sociais são muitas vezes uma rampa de lançamento para muitos artistas. King, a partir daí, iniciou o plano de internacionalização da sua marca que estabelece projetos e interações profissionais com vários estilistas e agentes de moda de prestígio, como o personal stylist Cardoso José e o aclamado fotógrafo Elton Varela, da revista Vogue, ambos baseados em Lisboa, Portugal.
A sua agência KLD é um feito importante para os moçambicanos. É um sonho tornado realidade, o maior contributo de Levi para Moçambique e para o mundo. Conta com mais de 47 modelos oficiais que vivem o sonho das suas vidas e com eventos de moda já de renome como Fancy Fashion Event e o Street Fashion, que deu lugar a mais de 18 estilistas nacionais e internacionais, músicos e dançarinos para mostrar os seus trabalhos mundo afora.

King Levi vive entre três países. Marrocos é um lugar especial, pois é onde trabalha e conseguiu desenvolver a sua marca de sapatos. Moçambique é onde tem os maiores trabalhos e projetos, Portugal é onde passeia e trata de negócios.
Esses países incutiram um estilo de vida diferente e aprendeu que para ter sucesso é importante ter cuidado com a aparência e que o fato e gravata têm o seu papel, apesar de hoje em dia ser fácil ser-se bem-sucedido em casa, sentado num computador. Mas para o exterior, muitas vezes a aparência é importante.
Com mais de 44 mil seguidores no Instagram, Levi considera-se um homem de sucesso e sabe que não passa despercebido onde quer que vá. O seu espírito empreendedor conduziu ao investimento num serviço de relevo na sua área de atuação, como fashion advisor e consultoria de moda.
“África está na moda, hoje em dia consegue-se se ver o “African Print” nas maiores passarelas do Mundo. E mesmo nós como influenciadores Africanos da moda conseguimos estar ao mesmo nível que os influenciadores Europeus ou Americanos.”
A comunicação com o exterior é algo necessário a ter em conta, sendo cada vez mais fácil comunicar através dessa aldeia global em que nos encontramos. Na indústria da moda funciona da mesma forma, é necessário comunicar e conhecer gentes, a evolução da moda tem sido notável e as redes socais fazem parte dela.
King Levi "Dapper"
Hoje em dia à distância de um clique é possível influenciar o mundo e atingir vários mercados. “Para nós, influenciadores de moda, é um bom momento. Pois hoje somos reconhecidos pelo nosso trabalho e podemos facilmente influenciar o mundo com as nossas criações” conclui King Levi.
O caminho ainda é longo para obter a mesma exposição que outros, desde modelos, estilistas e fashionistas africanos. Mas Levi acredita que é possível, pois a qualidade é igual ou superior.

ARTIGOS RECENTES

COMENTÁRIOS

Copyright © 2017 - 2018 - Todos Direitos Reservados - Moçambique
Site Densevolvido por: Ali Nejat